Plataforma de Fornecedores

Selecione um produto / serviço

Omolde > Notícias > MOLDFORCE: Alta precisão e qualidade definem percurso de excelência no fabrico de moldes

Indústria à Lupa

MOLDFORCE: Alta precisão e qualidade definem percurso de excelência no fabrico de moldes

06 Junho 2024

Fundada em 2016, a Moldforce tem cariz familiar, sendo liderada por Joaquim Morgado e o filho, Diogo Ruivo. Com um assinalável percurso marcado pelo crescimento contínuo, a empresa tem como imagem de marca uma aposta consolidada na alta precisão e excelência dos moldes que fabrica, tendo como principal mercado a indústria médica, relojoaria, elétrica e eletrónica, bens de consumo e automóvel. Para além da injeção de plásticos, é especializada em moldes para outros materiais, como o silicone e a borracha.


A história da Moldforce é um exemplo de persistência, inovação e compromisso com a qualidade. A empresa foi fundada em 2016, por Joaquim Morgado, um veterano na indústria de moldes, com mais de 40 anos de experiência, e o seu filho, Diogo Ruivo.


Com apenas cinco colaboradores e um conjunto de equipamentos básicos (incluindo centro de maquinação, erosão por fio e fresadora convencional), a Moldforce iniciou a sua atividade em janeiro de 2017. O projeto, que começou pequeno, rapidamente ganhou impulso, devido à qualidade, alta precisão e rigor do trabalho que executava.


Em 2018, o número de colaboradores subiu para oito, enquanto a empresa consolidava o seu investimento em tecnologias, como a adoção de mais um centro de maquinação 3 eixos, entre outros equipamentos.


Entre 2019 e 2022, passou por um significativo período de crescimento, expandindo a sua equipa para 16 pessoas e aumentando o investimento em equipamentos, de forma a manter-se na vanguarda tecnológica. Foi nesse período que foi instalada a sua primeira célula robotizada Ingersoll, um centro de maquinação de Makino, uma eletroerosão por fio FANUC, bem como adquirida uma máquina de medição Wenzel. Além disso foram também adquiridas mais 3 retificadoras, uma delas Lipemec.


Um marco importante foi a climatização da área de produção que proporcionam um ambiente controlado de fabricação e melhoram as condições de trabalho, bem como a instalação de painéis solares que representaram uma poupança de energia notável, na ordem dos 25 % a 30 %.


Foto: Moldforce


Com passos seguros e determinados, o percurso da Moldforce rapidamente extravasou o mercado nacional, conquistando posição de relevo em vários países, como França, Suíça, Itália, Alemanha, Estados Unidos e Brasil. Inicialmente focada na relojoaria, a sua reputação - conquistada devido à qualidade e precisão dos seus moldes - atraiu clientes de diversos outros sectores, incluindo as indústrias médica, conectores e automóvel. O sector médico representa, atualmente, cerca de 23 % da produção e o sector da relojoaria cerca de 32 %. Mas a empresa mantém, também, uma aposta significativa no sector automóvel que representa cerca de 18 %.


Hoje, a empresa é especializada na conceção, produção e reparação de moldes de elevado nível técnico e alta precisão, para injeção de plástico, borracha e silicone, e é certificada pela TÜV na norma ISO 9001:2015.


O crescimento rápido e expressivo da Moldforce captou o interesse de vários investidores, culminando num momento significativo em 2019, quando uma holding adquiriu 20 % do capital da Moldforce, reconhecendo assim o seu valor e potencial no mercado, marcando o início de um novo capítulo de expansão e inovação.



OTIMISMO

De acordo com Joaquim Morgado, a pandemia de Covid-19 não travou o avanço da Moldforce. Pelo contrário. A empresa continuou a prosperar, registando um crescimento notável em 2022, ano em que duplicou a sua faturação. Este sucesso, acredita, foi impulsionado “pela dedicação à alta precisão e à qualidade”.


No entanto, considera, os desafios persistem e a empresa está, constantemente, a procurar soluções para lhes fazer face. Um deles, acentua, prende-se com a dificuldade em encontrar e reter talentos. “Esta é uma prioridade, num mercado onde a formação, muitas vezes, não está alinhada com as necessidades das empresas”, adverte. Apesar disso, acrescenta Diogo Ruivo, a Moldforce “investe na formação interna, mantendo a sua equipa jovem, dinâmica e motivada”.


Um outro desafio que dizem sentir é a instabilidade internacional, resultante da recessão da economia e dos conflitos armados. Mas tais questões, enfatiza Joaquim Morgado, “fazem-nos criar e preparar soluções e, com isso, permitem-nos ganhar músculo para enfrentar as adversidades”.


Foto: Moldforce


De acordo com os dois sócios, o futuro da Moldforce é “promissor” e, por isso, afirmam-se “otimistas”. Com um foco contínuo na inovação e na expansão da sua capacidade instalada, a empresa está preparada para enfrentar os desafios que se apresentarem. O seu compromisso com a excelência, a qualidade e a alta precisão continuarão a ser o alicerce do seu sucesso, asseguram, acrescentando que, em paralelo, mantêm a aposta nas novas oportunidades e tecnologias, de forma a dar a melhor resposta às necessidades dos seus clientes.


“A excelência é o nosso padrão: em tudo o que fazemos promovemos um alto nível de rigor e respeito pelos métodos de trabalho, visando sempre um produto final de alta precisão e qualidade superior”, sustenta Joaquim Morgado.


A diferenciação é uma das prioridades. Por isso, contam, incrementarão o investimento nos moldes robóticos e moldes para a injeção de silicone, mantendo também o foco no desenvolvimento de soluções para novos e diferentes materiais.


“Se não estivermos otimistas, com vontade de criar e inovar, rapidamente seremos ‘engolidos’ por outros mercados. Por isso, não podemos ter medo de mostrar aquilo que fazemos, e que fazemos bem, não só para nós próprios evoluirmos, como para toda a indústria evoluir também”, salienta Joaquim Morgado, defendendo que a indústria de moldes nacional beneficiaria se “as empresas se conseguissem unir na partilha de experiências e conhecimentos e se se ajudassem umas às outras, de forma a consolidar mais o mercado”.